Portuguese English Spanish
Entrar

Entrar

Faça seu login
ou use sua conta
Lembrar-me

Create an account

Campos marcados com * são obrigatórios
Nome (*)
Nome de usuário (*)
Senha (*)
Confirmação de senha (*)
Email (*)
Confirmação de email (*)
BUSCA

Energias renováveis: Paraná tem potencial solar 58% maior que a Alemanha

Apesar de ter avançado bastante nos últimos anos, a energia solar fotovoltaica ainda é pouco explorada no Brasil em comparação ao seu imenso potencial. O Paraná é um bom exemplo, com uma contribuição desprezível no cenário nacional e um potencial superior ao de grandes potências internacionais.

A Alemanha, por exemplo, tem batido sucessivos recordes de produção de energia solar, com a capacidade instalada de 40 GW, o equivalente a três Usinas de Itapu, além da ambiciosa meta de conseguir que 80% de sua energia consumida seja proveniente de fontes renováveis até 2050.

Entretanto, o potencial solar encontrado por lá é aproximadamente 58% inferior ao do Paraná. O Prof. Dr. Gerson Máximo Tiepolo, da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), destaca os menores e maiores potenciais encontrados no Estado e a possibilidade de expansão do setor:

Os menores potenciais (do Paraná) estão na região Leste, e nas demais regiões, notadamente na região Norte, Oeste, Noroeste do Paraná, há um potencial extremamente elevado, comparável aos melhores locais do Brasil. O menor valor é encontrado na cidade de Matinhos e o maior valor é encontrado no município de Prado Ferreira. Na realidade, eu poderia dizer que 80% do estado do Paraná tem um valor de radiação solar extremamente alto. O potencial fotovoltaico do estado do Paraná, na média, é superior a 12 estados brasileiros e inferior a 14. Então o Paraná estaria bem no meio na média entre os estados. Se comparar a média do Paraná com a média encontrada na Bahia, onde eu tem o ponto de maior radiação em todo o território nacional, a média do Paraná é apenas 3% inferior à média encontrada na Bahia. Então é algo extremamente irrelevante em relação ao cenário nacional”.

O especialista é otimista em relação ao desenvolvimento do setor no Paraná, entretanto destaca a necessidade da adoção de políticas públicas, como a isenção de ICMS sobre a mini ou microgeração de energia.

O Paraná é um dos Estados que ainda não zerou essa alíquota de ICMS. Isso faz com que, o retorno do capital investido se torne um pouco mais longo em função dessa alíquota de ICMS, que incide sobre essa energia que é compensada. O que se espera é que num período tempo extremamente curto, o mais rápido possível, o Estado reverta essa tributação e isente o ICMS também aqui no Estado. A visão que eu tenho é que o apoio e o investimento em energia solar vai ser cada vez maior nos próximos anos. Então, muito vai se mudar dentro dessa matriz elétrica que temos atualmente no Brasil, mas vai mudar positivamente no sentido de trabalhar e investir cada vez mais em fontes renováveis. E a solar, sem dúvida nenhuma, é uma das nossas fontes que mais vão despontar dentro deste cenário”.

Esta possível isenção do ICMS no Paraná para os setores de mini e microgeração de energia, será pauta de uma audiência pública agendada para a próxima segunda-feira (11), na Assembleia Legislativa do Paraná.

Última modificação em Sexta, 16 Setembro 2016 14:08
Avalie este item
(0 votos)

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Voltar ao Topo
 
Centro Internacional de Hidroinformática | Parque Tecnológico Itaipu   Mantenedores   Desenvolvido por:
Av. Presidente Neves, 6731 | CEP 85.867-900
Foz do Iguaçu | Paraná | Brasil
+55 45 3576-7038
   
Termos de Compromisso  |  Política Privacidade  |  Creative Commons 2014 • Todos os Direitos Reservados