Portuguese English Spanish
Entrar

Entrar

Faça seu login
ou use sua conta
Lembrar-me

Create an account

Campos marcados com * são obrigatórios
Nome (*)
Nome de usuário (*)
Senha (*)
Confirmação de senha (*)
Email (*)
Confirmação de email (*)
BUSCA

Universidade do Amazonas cria telha sustentável feita a partir de fibras naturais

O projeto Ecotelhas é mais uma inovação para a construção civil. Divulgação
Pesquisadores da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) estão desenvolvendo um protótipo de telha ondulada sustentável. Feita a partir de argamassa, fibras naturais como juta e malva e um resíduo da indústria cerâmica, o projeto Ecotelhas é mais uma inovação para a construção civil.

Por meio da prensagem da argamassa – composta de cimento, areia, resíduos cerâmicos e água – são adicionadas fibras naturais para poder dar mais reforço à telha, como explica o subcoordenador professor Doutor em Engenharia de Materiais, João de Almeida Melo Filho:

“Fibra que não provoca problemas de saúde nas pessoas que vão trabalhar com este tipo de material. Além disso, a gente está colocando uma fibra natural que tem grande resistência mecânica e através dos ensaios de resistência mecânica, que já foram executados no material compósito, a gente verificou que esse material consegue ter uma grande absorção de energia em sua deformação e consegue alcançar grande carregamento”.

O projeto Ecotelha também colabora com a diminuição do consumo de energia, pois as telhas sintéticas utilizam mais energia em sua fabricação. Além disso, a Ecotelhas incentiva e promove a agricultura na região amazônica, uma vez que, as fibras naturais utilizadas no processo são cultivadas por micro-produtores locais.

“Então, com o desenvolvimento deste projeto a gente acredita que estaremos possibilitando um maior valor agregado a essas fibras e, consequentemente, o aumento de renda das famílias que cultivam essa planta”.

A Ecotelhas está vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências (PPGEC), da Ufam. Fazem parte da elaboração do projeto, estudantes de Administração e do mestrado em Engenharia Civil. A previsão é que dentro de um ano o projeto seja concluído. A expectativa, segundo o subcoordenador João de Almeida Melo Filho, é que a tecnologia possa ser transferida para empresas do setor da construção civil.
Avalie este item
(0 votos)

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Voltar ao Topo
 
Centro Internacional de Hidroinformática | Parque Tecnológico Itaipu   Mantenedores   Desenvolvido por:
Av. Presidente Neves, 6731 | CEP 85.867-900
Foz do Iguaçu | Paraná | Brasil
+55 45 3576-7038
   
Termos de Compromisso  |  Política Privacidade  |  Creative Commons 2014 • Todos os Direitos Reservados