Portuguese English Spanish
Entrar

Entrar

Faça seu login
ou use sua conta
Lembrar-me

Create an account

Campos marcados com * são obrigatórios
Nome (*)
Nome de usuário (*)
Senha (*)
Confirmação de senha (*)
Email (*)
Confirmação de email (*)
BUSCA

Práticas simples ajudam produtor de leite a economizar até 30% de água

A pesquisa faz parte de um projeto maior que é o cálculo de pegada hídrica nos produtos carne e leite no Brasil. Foto: Divulgação
Uma pesquisa desenvolvida, desde 2014, pela Embrapa Pecuária Sudeste revelou que, com pequenas mudanças de hábito, produtores podem economizar até 30% de água em instalações de ordenha. A partir de medições diárias, os pesquisadores calcularam a quantidade de água consumida e recomendaram ações para reduzir possíveis impactos negativos no uso dos recursos hídricos.

O pesquisador da Embrapa Sudeste, Júlio César Palhares, explica quais são as atitudes que o produtor deve tomar para reduzir o consumo de água:

“As práticas estão muito mais relacionadas a mudanças de comportamento do que, muitas vezes, a investimento financeiro. Se eu tenho lá um piso de ordenha, por exemplo, que em vez de ele ser um piso liso, sem rachaduras, sem buracos, ele apresenta esses defeitos. Então a vaca vai lá, esterca, aquele esterco cai no buraco. Qual é o padrão comportamental? Você vai lá com uma mangueira e vai querer tirar aquele esterco do buraco, então você vai gastar muito mais água do que se o piso estivesse nivelado.Lavar qualquer instalação, com água com pressão e água sem pressão, isso é fato que você usa menos água. Porque se a água tem mais força você consegue retirar aquilo que você quer, num menor tempo, usando menos água. É comum também, às vezes andamos nas propriedades e tem lá uma torneira pingando ou uma instalação hidráulica que está com algum problema e está vazando água ali. Aquilo em 24 horas é muita água”.

Para obter dados sobre quantos litros de água são necessários para a produção de um litro de leite, foram mensuradas a quantidade de água nos bebedouros dos animais, na lavagem do piso, dos tanques de leite, além do manejo no corredor de ordenha. A mensuração ocorreu por meio de hidrômetros, que são aparelhos baratos, porém pouco utilizados pelos produtores.

“A produção de alimentos, seja leite, carne, tomate, alface, são atividades intensivas no uso da água. Não existe produção de alimento no planeta que não se faça sem uma grande demanda de água. Então, nós, da área de produção agropecuária, somos responsáveis por isso também. Não só por produzir alimentos, mais por produzir esses alimentos com uma qualidade ambiental que seja reconhecida pela sociedade, e que a gente possa dizer com orgulho produzimos alimento com eficiência hídrica.”

A pesquisa faz parte de um projeto maior que é o cálculo de pegada hídrica nos produtos carne e leite no Brasil, com ações como a mensuração do uso da água em sistemas de leite a pasto.
Última modificação em Quinta, 18 Agosto 2016 19:43
Avalie este item
(0 votos)

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Voltar ao Topo
 
Centro Internacional de Hidroinformática | Parque Tecnológico Itaipu   Mantenedores   Desenvolvido por:
Av. Presidente Neves, 6731 | CEP 85.867-900
Foz do Iguaçu | Paraná | Brasil
+55 45 3576-7038
   
Termos de Compromisso  |  Política Privacidade  |  Creative Commons 2014 • Todos os Direitos Reservados